sábado, 27 de fevereiro de 2010

Lançamento do ZEUS recebe instituições, empresas e universidades, com intuito de compartilhar conhecimento

 No dia 24 de fevereiro de 2010, ocorreu o lançamento do Projeto ZEUS - (Geoinformação ao alcance de todos), um dos maiores projetos envolvendo geotenoclogias e software livre atualmente em implantação numa instituição pública. O ZEUS chega com a promessa de revolucionar o gerenciamento de informações no Governo da Bahia e o evento de lançamento deixou claro que uma das grandes inovações da forma de gestão do projeto será a transparência das atividades, onde a evolução do ZEUS estará sendo apresentada num Blog (http://zeus.opengeo.com.br), num twitter (https://twitter.com/projetozeus) e em outros canais de comunicação e redes sociais.

Este evento contou com a presença dos técnicos da SEDUR, representantes da Prefeitura Municipal de Salvador, órgãos e empresas do Estado com SEPLAN, SAEB, PRODEB, CONDER, INGÁ, SEMA, DERBA e um grande número de empresas privadas nas áreas de Geotecnologia e TI, como Santiago & Cintra, AmbienteGeo, Geocad Consultoria e Planejamento, além das Universidades, UFBA, UFRB e UCSal.

Segundo Nelson Almeida, chefe de gabinete da Sedur, "trata-se de um projeto inovador para o qual a secretaria vem se preparando desde o ano passado".

A partir de agora poderemos integrar informações sobre as questões urbanas geridas pela Sedur com os dados de bacias hidrográficas produzidas pela Secretaria de Meio Ambiente, afirmou Cristiane Pinheiro, representante do Instituto de Gestão das Águas e Clima (Ingá).

Nos últimos anos, uma grande revolução envolvendo Geoinformação tem contribuído para a transformação e melhoria de processos de gestão em diversos campos de atividades como monitoramento e rastreamento de frotas, agricultura, pecuária, meio ambiente, marketing, infraestrutura, etc. Devido à necessidade crescente de se utilizar cada vez mais dados geográficos, o setor público também tem investido maciçamente em Geotecnologias, entretanto os resultados esperados em termos de melhorias dos processos, produtos e serviços públicos não refletem proporcionalmente aos investimentos realizados, principalmente  porque estes esforços não são traduzidos em mais qualidade na oferta dos serviços à sociedade.

Após um minucioso trabalho de aproximadamente dois anos de planejamento, a Coordenação de Gestão de Informações Geográficas Urbanas da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (SEDUR) iniciou um projeto sem precedentes no país em termos de melhoria dos processos de gestão do Governo Estadual. O projeto ZEUS (referência ao Deus da mitologia grega que governava tudo que acontecia na Terra, bem como no céu) tem como proposta desenvolver uma nova geração de sistemas de gestão capazes de contextualizar a informação  geográfica em todos os processos os quais estes sistemas irão gerenciar. Segundo Leonardo Euler Santos, responsável técnico do projeto, "os processos da SEDUR passarão a ter uma nova perspectiva: o espaço geográfico. Ou seja, o desenvolvimento das mais diversas atividades serão vistas sobre a "Superfície da Terra" (dados georreferenciados), combinando insumos de tecnologias aéreas e orbitais (imagens de satélite, fotos aéreas, etc)".

No final do ano de 2009, um edital aberto pelo Governo da Bahia, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano - Sedur preconizava o desenvolvimento de um Projeto Básico cujas características principais eram baseadas nas seguintes premissas: utilização de software livre, desenvolvimento baseado em padrões abertos e Geotecnologias. A empresa vencedora deste edital foi a OpenGEO (www.opengeo.com.br) que possui, em seu portfolio, grandes projetos na área governamental principalmente voltados ao desenvolvimento de sistemas de gestão com inteligência geográfica. Os principais projetos desenvolvidos no âmbito do Governo Federal são o Sistema de Gestão de Obras do Exército - OPUS (http://opus.opengeo.com.br) e o Sistema de Gestão com Inteligência Geográfica de Ativos Ferroviários da ANTT - GIGFER (http://gigfer.opengeo.com.br).

A estratégia da OpenGEO é abrir um escritório em Salvador e montar uma fábrica de software com profissionais da própria região, além de alocar uma equipe multidisciplinar para a formação de mão de obra local e garantir o total repasse de tecnologia para o Governo da Bahia -  exigência especificada no edital. O desenvolvimento do sistema “in loco” e com repasse de tecnologia é uma das mais importantes características do Software Livre, apesar de, na prática, ainda ser pouco explorada pelos contratos governamentais. Segundo Helton Uchôa, Engenheiro chefe da OpenGEO, assim como o OPUS e o GIGFER se tornaram referência no âmbito do Governo Federal, o ZEUS será uma referência para os Governos Estaduais. Os primeiros resultados desse projeto poderão ser observados ainda em 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário